Portal do Governo Brasileiro
Inmetro-Surrs

Você está em: Notícia

Inmetro alerta sobre riscos para crianças de cordões em cortinas e persianas

divisor

Junho de 2016 - Anualmente, diversos casos de acidentes por estrangulamento de crianças, inclusive fatais, causados por cordões de persianas e cortinas, são registrados em todo o mundo. No Brasil, onde já foram identificados alguns relatos, o Inmetro está à frente de uma campanha de conscientização, com o intuito de alertar pais, responsáveis, classe médica e institutos de ensino infantil sobre o perigo, integrando uma ação global com 17 países, a ser realizada entre 23 e 30 de junho. A iniciativa é fruto de uma parceria com a Organição para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), criadora da campanha, que reúne os regulamentadores dos países que são refência em segurança infantil, como os Estados Unidos, Canadá, Austrália e os da União Europeia. No Brasil, além do Inmetro, a ONG Criança Segura e o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) também aderiram.

"Queremos que os responsáveis tenham consciência dos riscos causados por cordões em cortinas e persianas. Nos Estados Unidos, por exemplo, cerca de 12 crianças morrem todo o ano por sufocamento causado por estes cordões. É importante nos juntarmos a outros países e ampliar este alerta no Brasil para um risco que ainda pode ser desconhecido para muitas pessoas", comenta Paulo Coscarelli, assistente da Diretoria de Avaliação da Conformidade.

Para ele, a prevenção é a principal ação a ser tomada: "É importante verificar em casa, por exemplo, se estes cordões são acessíveis a crianças e se possuem laços que permitam que ela fique presa pelo pescoço, correndo risco de estrangulamento. Outra ação simples e que não tem qualquer custo seria cortar os cordões ou amarrá-los numa altura que as crianças não alcancem", aconselha.

Como parte da campanha, material informativo com dicas de prevenção ser divulgado no site do Inmetro e nos das entidades parceiras, além das mídias sociais, nas quais será usada a hashtag #cortinasegura.

Pesquisa nacional

No primeiro trimestre de 2016, o Inmetro realizou uma pesquisa, no Portal do Consumidor, para mapear os índices de acidentes domésticos vinculados a esses produtos. Mais da metade dos consumidores (54,7%) que responderam à enquete afirmaram saber o que é um acidente de consumo. Do total, 89% reconhecem o risco de estrangulamento oferecido pelos cordões de persianas e cortinas às crianças de 0 a 6 anos. "O levantamento revela ainda que 10,4% dos consumidores conhecem alguma criança que tenha sofrido este tipo de acidente, o que reforça a necessidade de campanhas de conscientização como esta", cita Coscarelli.

Regulamento

O Inmetro vai aprofundar o estudo sobre os riscos oferecidos pelo produto para avaliar se cabe adotar alguma medida regulatória adicional. No momento, reúne informações sobre o assunto por meio de benchmarking internacional e dados recebidos de acidentes no Brasil. A própria campanha de conscientização já é uma forma de o Instituto intervir no setor e alterar o comportamento dos consumidores com foco no uso seguro das cortinas e persianas com cordões. "É importante que todos os casos de acidentes sejam relatados no Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo (Sinmac), pela internet, para nos ajudar a decidir se cabe ou não uma futura regulamentação sobre o uso de cordões nestes produtos que cubra todos os casos passíveis de risco", complementa Coscarelli.

Internacionalmente, autoridades regulamentadoras de segurança de produtos trabalham ativamente na sensibilização do consumidor quanto aos perigos do cordão de cortinas e persianas. Nos Estados Unidos, segundo a Comissão de Segurança de Produtos de Consumo (Consumer Product Safety Commission - CPSC), há um relato com morte por mês, causado por sufocamento com estes cordões.

Dicas de segurança: fique atento

- Examine todas as cortinas e persianas em casa. Certifique-se de que não há cordões acessíveis na parte frontal, lateral ou traseira do produto.

- Não coloque berços, camas e móveis perto das janelas, pois as crianças podem subir e ter acesso aos cordões.

- Corte os cordões ou amarre-os em uma altura que as crianças não alcancem. Na dúvida, opte por cortinas ou blecautes sem cordões.

- Mantenha as crianças sob supervisão, sempre: o estrangulamento por cordões de cortinas ocorre de forma rápida e silenciosa.

- Em casos de acidentes de consumo envolvendo este tipo de produto ou qualquer outro acidente envolvendo um produto ou um serviç, faça o relato no Sinmac (www.inmetro.gov.br/sinmac).



 

Nossos Endereços

  • Prédio da Rua Santa Alexandrina

    PABX: (21) 2563-2800

    Rua Santa Alexandrina, 416

    Rio Comprido - Rio de Janeiro - RJ

    CEP: 20261-232

  • Campus Xerém

    PABX: (21) 2679-9001

    Av. Nossa Senhora das Graças, 50

    Xerém - Duque de Caxias - RJ

    CEP: 25250-020

  • Prédio da Rua Estrela

    PABX: (21) 3216-1000

    Rua Estrela, 67

    Rio Comprido - Rio de Janeiro - RJ

    CEP: 20251-900

  • Superintendência de Goiás - Surgo

    PABX: (62) 3237-3500

    Rua 148, s/n

    Setor Sul - Goiânia - GO

    CEP: 74170-110

  • Brasília

    PABX: (61) 3340-1710

    SEPN 511 Bl. B s/n AN 4

    Brasília - DF

    CEP: 70750-542

  • Superintendência do R. G. do Sul - Surrs

    PABX: (51) 3375-1000

    Av. Berlim, 627

    São Geraldo - Porto Alegre - RS

    CEP: 90240-581

Inmetro © 1993 - 2014. Todos os direitos reservados.